Este site usa cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website concorda com o seu uso. Para saber mais, leia a nossa Política de Cookies.

SÁBADO    por    Cofina Boost Content

Partilhe nas Redes Sociais

6 Factos sobre o coração e o desporto

6 Factos sobre o coração e o desporto

O Coordenador do Heart Center do Hospital da Cruz Vermelha, entidade parceira da Associação Montepio, esclarece as principais dúvidas sobre benefícios e riscos do exercício na saúde cardiovascular.

Luís Baquero, Coordenador do Heart Center do Hospital da Cruz Vermelha

6 Factos sobre o coração e o desporto | Espaço M365

Fazer desporto faz bem ao coração?

A atividade física é um dos melhores presentes que podemos dar ao nosso coração. Se juntamos a atividade física regular com uma dieta mediterrânea, associada a um controlo do peso e evitarmos o hábito tabágico, conseguimos, sem dúvida, o melhor cenário para viver muitos anos com um coração saudável.

Qual o efeito do desporto no coração?

O desporto regular ajuda a controlar a tensão arterial, o excesso de peso, aumenta a força muscular e a capacidade de reduzir o esforço do coração para manter uma oxigenação adequada do nosso organismo. Além disso, o exercício regular ajuda a diminuir a ansiedade por aumento da secreção de endorfinas sendo um grande aliado para aqueles que querem deixar de fumar. Igualmente o exercício diminui a possibilidade de adquirir diabetes porque controlamos melhor o nível de glicose no sangue e a resistência à insulina.

O hábito do exercício regular não só baixa o colesterol como ajuda a promover o aumento do nível do colesterol de alta densidade que é protetor do sistema cardiovascular. Doenças como os acidentes vasculares cerebrais, os enfartes de miocárdio e a arteriosclerose têm menos probabilidade de aparecer se praticarmos exercício regular. O mesmo acontece com arritmias como a fibrilhação auricular cuja incidência é francamente inferior em quem pratica uma atividade física regular.

Qual o desporto mais adequado para o coração?

O desporto de alta competição, na minha opinião, não é saudável; o desporto praticado de forma moderada, respeitando as limitações inerentes à idade e condição física, sim. Atualmente, considera-se que a modalidade de desporto mais saudável não só para o coração, mas para o organismo é aquela que mistura uma carga cardiovascular moderada, corrida, bicicleta, natação, caminhada, etc, associado a exercício de reforço muscular como levantamento de pesos e preservação da elasticidade.

Faz mal fazer maratonas?

Todo o exercício feito de forma intensiva e exagerada tem uma parte prejudicial e uma conta ‘a pagar’ que, mais tarde ou mais cedo, tem que ser saldada. Quer ao nível articular, quer cardiovascular o stress ao qual é submetido um atleta numa maratona não tem efeitos positivos. Só atletas muito treinados e com condições físicas e genéticas específicas podem de facto dar-se ao luxo de manter semelhante esforço sem ter consequências prejudiciais para a saúde.

Na minha opinião, para quem gosta de correr, 10 km será a distância ideal, quer pelo esforço quer pelo tempo dedicado a decorrer esta distância.

O desporto deve variar com a idade?

Absolutamente, a idade tem desafios para os quais devemos estar atentos e o que proporciona maior qualidade de vida na idade adulta é a força muscular e a nossa elasticidade.

Significa isto que correr 20 km com 60 anos de idade é desproporcionado, mas mantermos uma massa muscular e elasticidade adequadas com visitas regulares ao ginásio, proporciona aquilo que a partir de determinada idade nos dá qualidade de vida, levar os sacos das compras dois lanços de escadas, fazer uma caminhada na montanha, manter a nossa agilidade funcional faz, de facto, a diferença. Nos homens em particular, este tipo de treino muscular associado com a elasticidade (pilates /yoga) tem impacto no aumento e manutenção dos níveis de testosterona o que tem um impacto muito positivo nas relações sexuais, igualmente nas mulheres devido ao aumento da secreção de endorfinas e aumento da autoestima.

Há quem tenha enfartes durante jogos de padel, ou outros. Isso deve-se a quê?

Toda a atividade física deve ser monitorizada previamente. Há enfartes durante qualquer tipo de desporto, o paddle não é diferente do futebol ou ténis ou basquete em indivíduos pouco treinados.

Antes de iniciar uma atividade física, seja qual seja a idade do praticante, deve ser feita uma avaliação cardiovascular séria para evitar desgostos e guiar o treino.

Quem tem ou teve um problema de coração pode fazer exercício?

Deve fazer exercício, sim, sem dúvida, deve manter uma atividade física regular, moderada, monitorizada por uma equipa de reabilitação cardiovascular para obter os benefícios do desporto num coração que precisa de ser fortalecido.

PodPoupar

PodPoupar+

Um podcast que ensina tudo sobre poupanças e finanças